sábado, 12 de abril de 2014

Napoli

 Quem nunca ouviu falar mal da cidade italiana Nápoles? Mas a literatura começou a me mostrar uma Nápoles sedutora e singular, então resolvi dedicar uns dias a ela na minha última passagem pelo Itália. E daí, Nápoles me ganhou!!!!!!!!!!!!! Adorei tudo: as sobremesas com cremes em abundância, a gastronomia (sobretudo a sua pizza Margherita, que nunca comi igual e tão boa e tão leve!), as igrejas repletas de histórias e milagres, as ruas medievais, o trânsito que pode ser caótico, mas onde todos respeitam a faixa de pedestre, os olhares penetrantes dos locais, os preços bem acessíveis, as histórias sobre a Segunda Guerra, o garçom gentil, o cafe Nocciola (com creme de avelãs), o melhor espresso do mundo, o cheiro de roupas recém lavadas secando ao sol nas janelas e sacadas... E senti-me muito mais segura lá do que na cidade onde vivo (mas claro que evitei ir ao Quarteirão Espanhol à noite, onde dizem ser reduto da máfia). Tantas coisas! As fotos aqui são uma pequena amostra!






























domingo, 23 de março de 2014

Mini poema

Inspirada, digo:

Meu outono fez par com sua primavera...
 e de sol cálido, dança de folhas
 e flores novas
 tecemos nossos laços
em cobre e carmim!


Costa Amalfitana

 Eu já tinha dito aqui antes que adoro os livros de Frances Mayes (aguardo ansiosa pelo versão brasileira de seu novo livro, "Under Magnollia") e suas descrições de sua vida à la italiana. Graças a um dos livros dela, "Um Ano de Viagens",com suas descrições intimistas e cativantes, planejei muito da minha passagem por Lisboa (a descrição de Mayes me fez apaixonar, ainda à distância, pelo Museu do Azulejo, paixão que só aumentou pessoalmente) e por  Nápoles (Mayes quebrou todas às minhas resistências em relação a Nápoles, e Nápoles me ganhou!). Mas foi revendo, em janeiro passado, a versão hollywodiana de seu livro Sob o Sol da Toscana que tive a idéia de passar, nesssa última viagam à Itália, meus dias na Costa Amalfintana (quem não se lembra da cena  o filme onde há um romance em Positano, com o personagem interpretado pelo maravilhoso ator italiano Raoul Bova?). Sim, eu queria ficar na Costa Amalfitana e me deliciar por ela. Então fiz Sorrento como minha base por cinco dias, e de lá fui conhecer Positano e Amalfi. Tudo começou na piazza acima, onde peguei o ônibus que me levaria pela estrada mais linda que já percorri, de Sorrento a Amalfi.



 Aqui Sorrento vai ficando para trás...
 No caminho, há vinículas e oliveiras...




 E vai se descortinando um mar incrível,  em tons de esmeralda!
 A estrada é estreita, cheia de curvas... e não é para os fracos... Foi quando tive certeza da destreza dos motoristas italianos!




 E aqui, Positano. Aquilo mesmo que vimos no filme, e além! Linda!

















 E agora, Amalfi! Arrebatamento!












 Tantas belezas...



 Mesmo frio (final de inverno), alguns banhistas não resistiram ao mar amalfitano.


 Caminhar pelos becos e mini túneis para pedestres, nos recantos de Amalfi, foi uma das minhas atividades preferidas na viagem.





 E a gastronomia?
 Comecei pela sobremesa: brioche com gelato! Hummmm....Tudo aqui era gostoso (TUDO mesmo...!).




 E no meio da tarde, um almoço com frutos del mare e vino bianco.

 Eu poderia ficar nesse Café para sempre...


 Mas eu ainda tinha que voltar, e voltei: deslumbrada com tanta beleza, inundada pela luz de um sol cálido e gentil, e com meu sorriso refletindo todo meu imenso contentamento e admiração. Esse sorriso continua aqui comigo.

E sei que Sorrento, Positano e Amalfi, continuarão ali, esperando pelo meu retorno.